Gabriel_Marin

Gabriel Marin

Natural de Piracicaba, Gabriel Marin é violista da OSUSP – Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, do Quarteto Carlos Gomes, Professor de Viola e Coordenador de Música de Câmara no Instituto Baccarelli. Foi também violista da OSMSP -Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo e durante 5 anos foi primeiro viola solista da OSB- Orquestra Sinfônica Brasileira. Premiado em diversos concursos, destaca-se o Prêmio Eleazar de Carvalho do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Foi músico da Orquestra Jovem das Américas, onde tocou ao lado de Gustavo Dudamel, Leonard Slatkin e Yo Yo Ma em turnês por 13 países das Américas. Foi também violista da Odense Symphony Orchestra (Dinamarca), atuando em concertos naquele país e na Alemanha. Estudou com os professores Renato Bandel, Rafael Altino (Carl Nielsen Academy of Music, Dinamarca), Nobuko Imai e Roberto Diaz (Verbier Festival & Academy, Suiça). Com o Quarteto Raga, se apresentou em diversos concertos no Brasil, Alemanha e Tunísia. Vem sendo convidado como artista e professor em alguns festivais, destacando-se o Festival de Campos do Jordão, Vale do Café, Festival de Música de Teresina e VIRTUOSI de Recife. Atuou como solista frente a diversas orquestras brasileiras, e participou como solista do CD “Novos Universos Sonoros”, a frente da Orquestra Sinfônica da UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas, lançado em 2010.

Currently violist of the Carlos Gomes Quartet and the University of São Paulo Symphony Orchestra, Gabriel Marin has extensive experience in orchestral and chamber music. He has represented Brazil in the Mercosur Youth Orchestra and Youth Orchestra of the Americas, performing in the principal concert halls of thirteen countries across the continent. He won the Eleazar de Carvalho Award at the Campos do Jordão Festival, and studied at the Carl Nielsen Academy of Music (Denmark). He was also a violist in the Odense Symphony Orchestra and participated in the famous Verbier Festival (Switzerland).

Pedro_Visockas

Pedro Visockas

Iniciou seus estudos na Escola de Música de Piracicaba aos 4 anos e aos 8 ingressou no violino. Foi premiado no XV Concurso Jovens Solistas do Brasil. Posteriormente graduou-se bacharel em violino pela Unesp e em viola pelo Conservatório de Amsterdam (Holanda). Neste período teve aulas com Ayrton Pinto, Elisa Fukuda, Jürgen Kussmaul e Mikhail Zemtsov. Também teve masterclasses com Sven Arne Tepl, Michael Gieler e Nobuko Imai. De 2009 a 2013 foi integrante da Sinfonia Rotterdam, realizando concertos por toda a Holanda, pela Europa, América do Sul e Rússia e participando também de gravações de CD’s e DVD’s. Participou de festivais de música no Brasil, Holanda, França e Alemanha. Em 2015, Ernst Mahle compôs e dedicou a ele seu Concerto para Viola e, em 2016, a obra foi estreada por Visockas em apresentação com a Orquestra Sinfônica de Piracicaba, sob regência do próprio compositor. Atualmente é Violista da Orquestra Sinfônica Municipal de SP, Coordenador Pedagógico e Professor de Viola no Instituto Baccarelli.

Started his musical studies at the age of 4 and on the violin at the age of 8. Was prized in the XV Brazilian Young Soloists. Graduate bachelor on violin at the São Paulo State University and on viola at Amsterdam Conservatorium (The Netherlands), studying with Ayrton Pinto, Elisa Fukuda, Jürgen Kussmaul and Mikhail Zemtsov. Also had Masterclasses with Sven Arne Tepl, Michael Gieler and Nobuko Imai. From 2009 to 2013 he was a member of Sinfonia Rotterdam, doing concerts and tours through The Netherlands, Europe, South America and Russia, also took part of CDs and DVDs recordings with this orchestra. Has participated of musical festivals in Brazil, The Netherlands, France and Germany. In 2015 Ernst Mahle composed a Viola Concerto and dedicated to him and, in 2016, the piece was premiered by Visockas with Piracicaba Symphony Orchestra under the composers baton. Nowadays he is violist of the São Paulo Municipal Symphony Orchestra, Pedagogic Coordinator and Viola Teacher at Instituto Baccarelli.

Alexandre_Razera

Alexandre Razera

Iniciou seus estudos musicais aos oito anos de idade, na Escola de Música de Piracicaba (SP). Graduou-se pela Universidade de São Paulo (USP), sob a orientação de Marcelo Jaffé. Foi bolsista da Fundação Vitae para a Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim (Alemanha), onde foi orientado por Wilfried Strehle, posteriormente estudando na Universidade de Artes de Berlim. No Brasil atuou como violista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Experimental de Repertório, e viola solo da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP). Também foi solista das orquestras sinfônicas Paulista, Santo André, Minas Gerais e Camerata Fukuda, entre outras. Ministrou aulas nos festivais de Campos do Jordão (SP), Juiz de Fora (MG) e Oficina de Música de Curitiba. É primeiro violista da Orquestra da Rádio e Televisão Eslovênia de Ljubljana e músico convidado da Mahler Chamber Orchestra, desde 2008. Participou de gravações com a Filarmônica de Berlim, sob a regência de Cláudio Abbado, Simon Rattle, Daniel Barenboim, Lorin Maazel, Kurt Masur, Nikolaus Harnoncourt, Trevor Pinnock, Gunter Wand. Realizou concertos, gravações e turnês junto a várias orquestras europeias, como Filarmônica de Berlim, Orquestra da Rádio de Berlim, Orquestra de Câmera de Berlim, Orquestra da Ópera de Berlim, Mahler Chamber Orchestra e Orquestra da Rádio de Ljubljana.

The Brazilian violist Alexandre Razera took his first music lessons with Celisa Amaral Frias in his home town of Piracicaba near Sao Paulo. He continued his studies with Elisa Fukuda and Marcelo Jaffé at the Universidade de São Paulo. His wish for further education and interest in European musical tradition brought him to Berlin, where he first studied with Prof Wilfried Strehle at the Karajan Akademie of the Berlin Philharmonics and later continued at the Universität der Künste Berlin with Prof Ulrich Knörzer. During the course of his studies he received a number of awards both as a soloist as well as member of chamber ensembles. At the time, he collaborated with several Orchestras, among others the Berlin Philharmonics, the Mahler Chamber Orchestra and the Lucern Festival Orchestra. He currently lives and works as a solo violist in the Camerata Antiqua de Curitiba, in Curitiba, Brazil.

Foto de Heloísa Bortz

Renato Bandel

Nascido em Piracicaba-SP, iniciou seus estudos de música aos seis anos de idade, com sua mãe. Mestre em viola pela UdK Berlin (Universidade de Artes de Berlim), estudou na Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim (Alemanha) com bolsa da Fundação Vitae. Atua intensamente como recitalista, camerista e solista, com repertório que se estende de Bach aos compositores contemporâneos. Realizou estreias brasileiras de obras importantes, como Concerto para viola de Krzysztof Penderecki (com a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, sob a regência de László Tihanyi). Detentor de diversos prêmios, entre os quais: Vencedor do Prêmio Nascente III – USP -Universidade de São Paulo (1993), Prêmio Carlos Gomes (2006), como integrante do Quarteto Camargo Guarnieri. Foi professor da Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM) e da Faculdade Cantareira, em S. Paulo. Integrou o corpo docente do Festival de Inverno de Campos do Jordão de 2002 a 2008. De 2009 a 2011 trabalhou como coordenador pedagógico do mesmo festival. Atua como docente nos festivais de Poços de Caldas-MG, Bagé-RS, Lages-SC, Munasp (SP), Natal-RN, Ouro Branco-MG, João Pessoa-PB, Recife-PE, Maranguape-CE, São Leopoldo-RS, entre outros. Em sua estadia de sete anos na Alemanha, atuou como violista convidado da Orquestra Filarmônica de Berlim com quem gravou diversos CDs e DVDs, sob regência de Claudio Abbado, Daniel Barenboim, Seiji Ozawa, Günter Wand, Zubin Mehta, Bernard Haitink, Simon Rattle, Nikolaus Harnoncourt entre outros, em várias cidades europeias. Integrou também a Ensemble Oriol Berlin, realizando concertos na Alemanha, México, Portugal, com renomados solistas internacionais. Atuou também como músico convidado na Orquestra Gulbenkian (Lisboa / Portugal). Desde 2009 trabalha como coordenador pedagógico na Santa Marcelina Cultura, onde é responsável pelo Núcleo de Música Antiga, Ópera Estúdio, Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, Banda Jovem do Estado de São Paulo, Coral Jovem do Estado de São Paulo, assim como da área erudita da Emesp, Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim.

Fascinated by sounds and the beauty that can be created, Renato Bandel gravitated towards the Viola. His attention to detail and the intensity of his playing soon attracted attention and he was invited to join the Orquestra Experimental de Repertório in 1989 while still a teenager. In 1994 he won a much coveted spot in the Orchester Akademie des Berliner Philharmonischen Orchesters . For anyone who loves Classical music they know this is a combination of being on the winning World Cup or Super Bowl team. To be trained and a substitute violist with the great Berlin Philharmonic Orchestra is extraordinary, and for the next 7 years in Berlin Renato performed with various orchestras as well as the chamber group Ensemble Oriol Berlin.
He then returned to Brazil and settled in Sao Paulo and since 2001 has brought his knowledge as a world-class violist to the Brazilian classical music scene. He was a member of Orquestra Sinfônica da USP, led the viola section of Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo and taught at the University FIAM. Since 2009 he has helped to shape EMESP – Escola de Musica do Estado de Sao Paulo – Tom Jobim. As Coordinator of Santa Marcellina Cultura school, he teaches the star pupils ages 20-25, preparing the students for a life of musicianship. He coordinates the orchestra’s schedule, programming, holds auditions, and selects conductors. As part of Renato’s mission to prepare his students for the professional classical music world he imparts the importance of ownership; musicians must feel ownership of the orchestra. These days in the 21st century world it is vital that the musicians are not insulated, that they do not wait for someone to make a concert for them but to have create opportunities for them as well. He knows his position at Santa Marcelina Cultura helps to shape and create a strong future for the institution and as such he has played a role in creating musical alliances which The Juilliard School of Music and the Conservatoire de Paris Cultural exchanges that are exciting and help propel the classical music art form.